24/01/2012

Padre (Priest)

Vampiros e seres humanos sempre guerrearam entre si, desde o inicio dos tempos. Os vampiros eram mais fortes e rápidos mas os humanos tinham uma vantagem: O Sol que repelia os vampiros e os fazia se esconderem em seus ninhos (ou colméias que é a maneira como os ninhos dos vampiros são chamados). Mas o Sol não foi suficiente e os homens começaram a criar armas cada vez mais poderosas e letais. Tentando destruir os vampiros acabaram destruindo o mundo. Sem esperanças, os humanos se fecharam nas cidades e confiaram o extermínio dos vampiros para os Padres. Sim, por que os padres eram extremamente treinados, quase sobrenaturais. Eles guerrearam durante anos com os vampiros até que os exterminaram, sendo uns poucos sobreviventes mantidos em cativeiro. Depois que os vampiros foram derrotados os Padres foram erradicados de suas funções e passaram a viver na clandestinidade. O governo desse novo mundo passou para os membros da igreja.

Este é o prólogo do filme. Ele tenta ao máximo situar o telespectador para que o mesmo possa entender o clima futurista e desgastado. A Igreja Católica é a "dungeon master", e quase todas as pessoas são católicas. Existem confessionários por todos os lados e as confissões são feitas eletronicamente, por meio do reconhecimento da voz. O lema e juramento “Ir contra a Igreja é ir contra Deus”, é evidenciado em todos os cantos e de todos os modos, para que as pessoas nunca se esqueçam de quem realmente manda.

O protagonista é, olha que coisa mais improvável, um Padre, que vive nas "margens", desde que os vampiros foram "completamente" extintos. Como no filme, o personagem não tem um nome próprio, então o nome dele é Padre mesmo. Padre está lá, fazendo suas confissões, vivendo como sempre, e tudo mais, quando um jovem xerife chega do nada em sua vida e o avisa que sua sobrinha coff, filha, coff foi sequestrada por vampiros. Padre vai em uma louca caçada aos vampiros.

Os personagens principais têm motos super, hiper, modernas que atingem velocidades de carros de Fórmula 1, e até mais. Um desses personagens é uma Padre fêmea (Madre?), ou no caso, Padre/Madre-asiática, que vem para ajudar Padre nesta missão. Nesse filme, os vampiros não são humanos com característica diferentes, e sim, criaturas estranhas, realmente monstros malignos, que não possuem nada fisicamente parecido com seres humanos. Os vampiros podem, sim, contaminar humanos, mas eles não serão legítimos vampiros, e sim, "familiares", pois não possuem a mesma agilidade e força que verdadeiros vampiros têm.

Assisti o filme recentemente, e até tinha alguma expectativa positiva, que foi totalmente liquidada quando assisti. O filme tem várias cenas de ação, e algumas cenas de luta com efeitos visuais e slow motion excessivos, desnecessários. Sem falar, que quem não é cristão, se sentiu incomodado.

O enredo não tem nada de especial. É clichê e pouco criativo. Mais de uma hora pra mostrar uma situação de acabaria em menos tempo num filme. Em relação aos personagens, gostei muito do Padre, algumas pessoas dizem que ele é meio chato, mas por Zeus, ele foi um "Herói de Guerra", tem direito de ser duro, justamente pelo fato de ter sido maltratado pela vida. O Xerife é muito lindinho, porém irritante. A Padre/Madre-asiática até que é uma personagem que é uma boa pessoa de lidar. E a sobrinha coff, filha, coff é muito chatinha.

Mas, acima de todos os outros, estava o vilão, Black Hat. Ele foi o primeiro vampiro-humano e tem um jeito bem charmosinho. Acho que ele deveria se dar bem e acabar com a raça humana mesmo! (não)

Se você curte filmes com ação, slow motion excessiva, ritmo arrastado e uma aventurazinha mixuruca, acho que vai gostar de Padre. De todo modo, assista-o e tire suas próprias conclusões. Pelo menos os vampiros não brilham.
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário