25/01/2012

A Batalha do Apocalipse - Eduardo Spohr

Autor: Eduardo Spohr
Editora: Nerd Books - Verus
Páginas: 560
Sinopse: Há muitos e muitos anos, o Paraíso Celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio, e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o dia do Juízo Final. Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas. Único sobrevivente do expurgo, o líder dos renegados é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na batalha do Armagedon, o embate final entre o Céu e o Inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro do universo.
Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano; das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval. ‘A Batalha do Apocalipse’ não é apenas uma viagem pela história humana, mas é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, cheio de lutas heróicas, magia, romance e suspense.

Antes de começar a falar sobre o livro, vou dizer que essa nova geração de autores brasileiros de ficção/fantasia está surpreendendo cada vez mais, e modificando a visão que tínhamos da literatura nacional. ABdA é um dos épicos mais incríveis que já li. E não falo isso só por ser fã de carteirinha do NerdCast ou do Eduardo Spohr, e sim, pela qualidade da obra. Foi um livro muito bem divulgado em 2010, e acabei lendo pelas boas críticas que recebeu.

Bom, pra começar logo lhes digo que A Batalha do Apocalipse não deixa a desejar em nenhum aspecto geral. É uma estória muito bem montada e que surpreende o leitor em várias partes da trama. O contexto tem o Apocalipse cristão como mitologia básica mas não faz apologia a nenhuma religião ou doutrina, e isto é bem visível, já que explora desde os deuses orientais aos deuses africanos, passando até pelas criaturas mágicas, como as fadas.

Várias pessoas, cristãs ou não, pensaram que a obra fazia apologia ou até desrespeito à religião cristã. Não levaram em conta que esta é uma obra de ficção, uma obra fantástica, e portanto, não deve ser levada como uma heresia a qualquer que seja a crença.

O enredo nos apresenta de cara o Ablon, um Anjo Renegado que vaga pela Haled, que é como se referem à Terra no livro, através dos tempos. Ablon é um anjo da casta dos querubins, e que foi expulso do "céu" em uma rebelião ocorrida há muitos milênios atrás. Desde a sua queda, até o Apocalipse, este personagem maravilhoso foi evoluindo e explorando suas capacidades. Ao longo da estória, Ablon enfrenta diferentes perigos e duelos, anjos mandados por Miguel que tentam matá-lo, Zamir, um feiticeiro de Babel, e muitos outros. Além dos muitos amigos que encontra, como Shamira, uma necromante conhecida como A Feiticeira de En-dor.

Vou ser sincera, Eduardo Spohr surpreendeu a todos nós com este seu primeiro livro. Deixou-me presa aos personagens em todo o desenrolar dos fatos. A única coisa negativa que tenho a falar é sobre a monotonia dos flashbacks e alguns erros de digitação em determinados pontos do livro.

Se você, leitor, gosta de coisas como Supernatural, e ainda não leu ABdA, não sei o que está esperando para comprar e começar a ler esta magnífica obra.
Proxima Anterior Inicio

0 comentários:

Postar um comentário